Home / Uncategorized / Ata da Reunião do GT Migrações/Refugiados

Ata da Reunião do GT Migrações/Refugiados

Ata da reunião do GT-Migrações e Refúgio da Rede Social do Centro – 20/10/2017

A reunião do GT-Migrações e Refúgio, dia 20 de outubro de 2017, teve início às 15h15min.

Inicialmente foi conduzida uma breve apresentação das ações da Rede Social do Centro, contando um pouco dos sete anos de atividades. Em seguida foi aberto espaço para cada pessoa se apresentar e falar um pouco da organização na qual atua.
Estavam presentes representantes das seguintes organizações:

 Aliança Empreendedora
 Action International
 CDHIC – Centro de Direitos Humanos e Cidadania do Imigrante
 Comunidade Cristã do Bixiga
 Cruz Vermelha Brasileira
 Curso Mafalda
 Dignitá
 Preparando o Caminho
 Programa Redenção – Secretaria Municipal de Saúde
 Projeto Ponte
 PróMigra
 Serviço Especializado de Abordagem Social (SEAS IV) – Secr. Mun. de Desenvolvimento e Assistência Social

Aproveitando uma das falas de apresentação, foi proposta uma discussão sobre adequação da nomenclatura do grupo de trabalho, anteriormente chamado como GT_Refugiados. Isso se fez necessário porque, apesar do termo “refugiados” ser utilizado, no senso comum, para fazer referência ao imigrante mais vulnerável, foi lembrado que utilizar somente este termo poderia sinalizar às organizações que atuam com migração em outras condições que o escopo do GT não inclui suas atuações. Para sanar esse impasse, e poder incluir mais grupos e organizações que atuam na causa da migração, foi proposto que o nome do grupo seja GT-Migrações e Refúgio.

Foi apresentado um infográfico que representa um mapeamento das organizações que atuam entre os migrantes em alta vulnerabilidade. Esse infográfico exibia quais as atuações das organizações e como se conectam no processo de acolhimento/integração dos/as imigrantes. O mapeamento foi apresentado pelo pesquisador Leandro de Carvalho e poderá ser acessado na página da Rede Social do Centro em link que será divulgado posteriormente.

Como desdobramento dessa apresentação, o representante do Projeto Redenção propôs que o GT procurasse os/as representantes das Unidades Básicas de Saúde (UBSs) que trabalham diretamente com populações que imigrantes, fazendo referência à UBS-Sé, UBS-Bom Retiro e UBS-Pari. Nessa mesma fala foi lembrado que até pouco tempo essas unidades contavam com pessoas que faziam o trabalho de capacitação para os/as funcionários/as e isso ajudava em muito a comunicação e os atendimentos entre os profissionais e os/as usuários/as.

Durante a conversa, o representante do SEAS, que atende as pessoas que circulam pelas cenas de uso de crack na região de Campos Elísios, nos apresentou o dado que demonstra crescimento no número de imigrantes nas cenas uso de crack. Essa percepção foi confirmada pelo representante do Projeto Redenção. Foi lembrando que o Congo, origem de muitos imigrantes que vivem em São Paulo, sofre com o crescimento acelerado do uso de heroína. Essas pessoas quando chegam ao Brasil acabam procurando os traficantes e as cenas de uso.

A situação de imigrantes em maior número nas cenas de uso de drogas foi considerada muito lamentável e muito preocupante para todos os presentes. Foi iniciada uma discussão sobre a complexidade do trabalho com migrantes e a necessidade engajamento de outras pessoas, voluntárias ou não, para contribuir com os trabalhos que são realizados.
Os/as representantes das organizações falaram das especificidades de suas atuações e compartilharam alguns aprendizados que já tiveram ao longo da trajetória de atendimentos.
Aproveitando essa fala, foi proposta a participação do GT no mutirão de atendimentos que acontecerá no próximo dia 31 de outubro, o Rua Cidadã – Barão de Itapetininga. O evento está agendando desde o mês de agosto e tem sido planejado desde então. Daniel Checchio, um dos facilitadores do evento, propôs que fosse aberta uma tenda exclusiva para as organizações que quiserem expor suas atividades e necessidades (recursos materiais, voluntários/as etc) durante o mutirão de atendimentos. Lembrou que naquele horário, das 14h às 18h, circulam cerca 100 mil pessoas pela Rua Barão de Itapetininga.
◦ Os/as representantes levaram a proposta para suas organizações e vão confirmar presença até dia 25 de outubro. Este espaço também está aberto às organizações que foram convidadas à integrar o GT.

Informes
O Projeto Pontes informou sobre o atendimento que oferecem aos funcionários/as e voluntários/as das organizações que atendem as demandas dos imigrantes e, não raramente, suportam um fardo bastante grande nas diversas histórias e contextos em que são solicitados a prestar auxílio. Essa iniciativa foi bastante elogiada pelo grupo. Para ter mais informações sobre esses atendimentos, é possível contatar o Projeto Pontes pelo número (11) 3866-2735 ou se dirigir à Rua Ministro Godoy, 1484.

Próximo encontro:

Após discussão em grupo, a próxima reunião ficou agendada para o dia 17 de novembro, as 15h, na praça Princesa Isabel, 233, 9o andar.

As organizações presentes se comprometeram:

◦ manifestar interesse (ou não) em participar do próximo Rua Cidadã que acontecerá no dia 31/10, das 14h às 18h, na Rua Barão de Itapetininga. Será montada uma tenda exclusiva para o conjunto das organizações, onde poderão apresentar os trabalhos que tem sido feitos, prestar orientações e ajudar na conscientização sobre a migração na cidade.

◦ convocar as organizações de imigrantes para compor o GT. Cada organização presente se comprometeu a divulgar o GT entre os grupos de imigrantes que tiverem contato.

About Rede Social do Centro

Check Also

Ata da Reunião Geral da Rede Social do Centro – Outubro

Ata da Reunião Geral da Rede Social do Centro – Outubro Local: PIB – Primeira …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

WhatsApp chat